.caminho musical


Rouxinol Faduncho - Desvariação

.quantos caminhantes


.caminhos recentes

. Teste psicológico

. Mas a Maria merece

. Resignação

. Parte mais importante

. Tudo sobre peidos

. Aviso do gaucho amigo

. Caminho Molhado

. A universalidade do povo ...

. Amigos do Caralho

. Leitaria do Avante

.caminhos antigos

. Dezembro 2006

. Novembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Fevereiro 2006

. Janeiro 2006

.Dezembro 2006

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

.sobre mim

.mais sobre mim


.caminhos trilhados

.o meu "selo"

Caminhos Cruzados

.o meu c@minho



.músicas que já tocaram no meu caminho


.procurar caminho

 

.em movimento




C

A

M

I

N

H

O

S



C

R

U

Z

A

D

O

S

.campanha da escrita

Campanha da escrita


blogs SAPO

.subscrever feeds

Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2006

Diferença

espera.JPG


 Esperanças pessimistas
Brotam de uma vida sem sentido
Não escondem o sofrimento
De quem no horizonte já nada vê
Só o vazio o espera
Enquanto vagueia por ruas de tristeza
Cruza-se com almas desconhecidas
Que até lhe sorriem
Mas a alma de ouro
Não ousa tocar-lhe
Não o consegue animar
E com seu silêncio de ferro
Ainda mais o tortura
Restando apenas caminhar e sonhar
O precipício do destino espera-o
Ansiosamente
Vorazmente
Condena-o por algo
Pelo qual não tem culpa
Com uma réstia de alento
Implora que a mão trémula da Vida
O liberte desse martírio
E lhe restitua a dignidade
Que outrora teve
E atrozmente lhe é negada
Assim caminha
Para o acaso que cruelmente o arrasta
Nada pode fazer
Somente sofrer
E pacientemente esperar...


20/06/97
Luis "Menouv"


  NOTA: Este poema é um dos meus mais antigos, mas por ser dos mais pequenos e traduzir satisfatoriamente (mais adjectivo, menos adjectivo) o que ultimamente me tem andado na alma, decidi partilha-lo agora convosco...

publicado por menouv às 22:38
caminho do post | caminhar | adicionar aos meus caminhos
|
8 comentários:
De menouv a 12 de Fevereiro de 2006 às 19:32
MOON: Olá "Moon"! Claro que não me importo, até fico lisonjeado por teres partilhado aqui neste nosso caminhos tão belas palavras. Gostei mesmo! Bjocas!
FERRUS: Olá companheiro! Apenas e só mais um obrigado pela vista! Abraços!
AROMA: Acho que ninguém gosta de perder... principalmente algo que se gosta e/ou que em verdade nunca tivemos verdadeiramente... talvez apenas em sonhos! Bjocas perfumadas!
MARIA PAPOILA: Olá Maria! Obrigado pela frase e pela "dica". Sempre presente. Quanto ao desafio, desculpa, mas neste momento estou com pouco tempo e "inspiração" para vos contar 5 manias minhas. Dou-me a conhecer noutras oportunidades, ok? Bjocas!
OTEUDOCEOLHAR: Olá companheira! Fico feliz por teres gostado do poema e pelas palavras que deixaste. Voltarás a ver-me com um sorriso concerteza, pois não sou homem para ficar muito tempo triste... pelo menos a demonstra-lo! :) Bjocas!
MARI: Olá Mari, muito obrigado mesmo pelas palavras de elogio e conforto! :) Espero também muito em breve ver um sorriso na tua face em vez de lágrimas. Desejo-te o melhor que mereças! Volta sempre! Bjocas!
De mari a 11 de Fevereiro de 2006 às 00:38
é precisamente este o estado de espirito que me invade neste preciso momento.. tristeza.. akele sentimento que me faz pensar que a vida não faz sentido, e q n era preciso sofrer-se tanto, se a vida é tão curta! mas é mesmo assim! nada é justo, nada é como nos queremos.. o mesmo que desej para ti, desejo para mim: um sorriso, mt em breve! :) continua a escrever, escreves mt bem.. tb adoro escrever, e por vezes axo curioso identificar-me com certas palavras escritas por outras pessoas.. parece k foi escrito por mim.. porque relata precisamente o q eu transmito ca para fora, n por palavras, mas pela face :) um beijo *
De oteudoceolhar a 10 de Fevereiro de 2006 às 15:34
Pois é...entendo o teu sentir (com mais ou menos adjectivos)...Está lindo o poema, pena e sentir que estás embaixo. Espero voltar e ler um poema novo envolto num sorriso, numa luz. Beijo bom fim de semana*
De Maria Papoila a 9 de Fevereiro de 2006 às 23:47
A pedido do meu amigo Carlos do blog http://vagueando.blogs.sapo.pt/ entrei neste jogo. AS REGRAS "Cada bloguista participante tem de enumerar cinco manias suas, hábitos muito pessoais que os diferenciem do comum dos mortais. E além de dar ao público conhecimento dessas particularidades, tem de escolher cinco outros bloguistas para entrarem, igualmente, no jogo, não se esquecendo de deixar nos respectivos blogues aviso do "recrutamento". Além disso, cada participante deve reproduzir este "regulamento" no seu blogue." Vamos lá a cinco manias minhas... A lista é bastante mais vasta... 1 Tenho pavor a gafanhotos, saltam, e têm a mania de se juntar em pragas... 2 Não gosto de andar de avião...tomo dois tranquilizantes, bebo uma bebida alcoólica, e durmo até aterrar... 3 Costumo falar alto sózinha...se alguém me pergunta o que se passa, respondo que é pessoal... 4 Passo mais de 20 minutos à procura das chaves do carro para as encontrar sempre onde imaginava que elas estavam guardadas... 5 Gosto de passear junto ao mar para acalmar as manias... e apanhar pedras e conchas que guardo por toda a casa... Lá tenho de passar a bola a alguém...e os escolhidos são... http://caminhos cruzados.blogs.sapo.pt/
Livra-te de quebrar a cadeia!

De Maria Papoila a 8 de Fevereiro de 2006 às 19:30
se o silêncio é bom conselheiro, este silêncio nostálgico do sentimento de vazio, não nos faz crescer " Pelo meu nome ninguém chama,
nas florestas de rochedos abandonados,
com flores caídas de ramos confiantes…" deixo-te esse texto meu de uma fase destas. Beijo

De Aroma a 8 de Fevereiro de 2006 às 15:34
Eu detesto o som do silêncio da perda....quando o sinto é pk estou só...pk me sinto perdida de mim...por isso é algo que prefiro evitar a todo o custo...beijo doce!!!
De ferrus a 8 de Fevereiro de 2006 às 14:13
Os sons do silêncio... o ruido da solidão... os carinhos da perda: incomodativos!!! Um abraço
De Moon a 8 de Fevereiro de 2006 às 12:57
Adorei o poema. Quando o li lembrei de um poema meu, que vou deixar aqui numa breve passagem, espero que não te importes. "Uma estranha sensação de vazio apoderou-se de mim. E questiono-me se um toque seria mais toque hoje que não te sinto? E será que me desejas tanto como eu hoje te quero desejar? Na porta fechada sem preocupação de um trinco, condeno a vida que te fez ir e não te ensinou a voltar. E fecho os olhos e sinto e só quero ter e não pensar!
Condeno a vontade de se viver e ter que constantemente fugir! E abro os olhos e sinto e pensando fico comigo e faço por não sentir. Se tudo tem uma razão de ser, explica-me tu oh genial destino porque alimentas sonhos que mais tarde expiram no prazo!". Beijocas ****

comentar caminho

.Obrigado pela visita. Volta sempre!

menouv